Aplicações móveis para eventos. O seu evento precisa de uma? Prós e Contras

Seria de esperar que tendo serviços digitais para eventos, queiramos promover um serviço que temos. Não é assim.

Uma aplicação móvel ou APP pode parecer uma fonte inesgotável de negócios, fãs, awareness e tudo isso, mas…

Sim, mas. Como em tudo, carece de cuidados. Mas antes de irmos para os Contras, vamos visitar a terra dos prós:’

 – Experiência do Cliente controlada pela marca – o cliente vê e navega por onde pretendemos com a vantagem de ser consistente, adaptável ao ambiente móvel e supostamente fácil de entender;

 – Estamos onde o cliente está naquele momento– geolocalização, notificações push, conteúdo fresco, tudo pode ser acionado quando quisermos e onde o cliente esteja. E num evento quando é que queremos que ele consuma? Sim, lá dentro, quando está concentrado, focado e (esperemos) seduzido. Ah e estamos sempre no seu bolso, e onde o mercado está a crescer. No consumo de conteúdos móveis

 – Posicionamento “lá para cima” – “Já viu a nossa APP?”, “conheça as nossas novidades” pode ajudar a marca a alavancar a sua presença e a “subir uns pontos” na escala da inovação, especialização e competência.

 – Comunicação directa, maior envolvimento – não é ciência exacta mas a comunicação não tem filtros de sites ou outras fontes, e dependendo do conteúdo vamos aproximar o cliente/fã do que estamos a dizer/promover/partilhar.

 – Melhora o networking no evento – partilha de contactos, marcação de mini-reuniões, partilha de apresentações, discussões, votações, ufa…

 

Ok vamos arrancar para programar aplicações móveis para eventos,  mas vamos ao mas?

 

 – Fazem MESMO sentido as aplicações móveis para eventos? Depende do evento. Se houver partilha de informação, votações, troca de informação e interactividade, sim! Se existirem participantes de várias origens onde faça sentido ter informação relavante de locais, contactos, sim! Se for um momento para criação de negócios, e troca de contactos, sim!

Se for expositivo, passivo, curto no tempo, então há outras alternativas. Porque o nosso participante vai estar pouco tempo, numa pose mais de assistente e o resultado pode ser um imenso espaço virtual vazio.

 – Tempo e custo de desenvolvimento – há soluções rápidas com alguma personalização mas se queremos algo único, o custo e tempo são elevados. Aqui, caso não tenha equipa própria, há a oportunidade de subcontratação. Mas como em tudo nos eventos, tem de ter o diapasão afinado com quem vai trabalhar pois o tempo é normalmente escasso.

 – Manutenção e produção de conteúdo – Vale a pena ter uma APP bonita mas que não tem conteúdo? Ou o último foi há tanto tempo que a memória apagou? Um APP pode ser algo fantástico e envolvente mas necessita de ser alimentada com conteúdo relevante. Outra vez a história do conteúdo? Sim, outra vez. O que é que acontece a uma APP que instala e que não é actualizada com regularidade? Pois, é desinstalada ou “chutada” para o quarto ecrã do smartphone que é o mesmo que dizer que morre.

A APP pode ser a cereja no bolo do seu evento e alanvancar para fora da esfera dos participantes. E acreditamos que nos eventos certos e com as ferramentas certas é algo a utilizar.

Mas não basta instalar, ter o icon, menus e algumas ligações. Temos de os fazer sentir parte daquele evento, naquele momento, de criar e partilhar conteúdo que as pessoas se identifiquem.

Até (muito) breve